Sunday, October 07, 2007

RETOMANDO A PAUTA

A MARCA DO STF E A MATA DA AMAZÕNIA
Nesse domingo, pus-me a ler as revistas nacionais, os jornais e os blogs locais. As revistas vão do nada ao lugar nenhum ou do tudo a todos os lugares. As ranzinzices de Renan e os novos infiéis ocupam menos destaque a não ser na Época que lhes dedica a capa e coloca a decisão do STF como mais um "marco histórico para a democracia brasileira". E eles contam lá por que. Vamos, então, ler a Época pra entender porque marcam tanto a História que a gente, na maioria, às vezes, nem percebe mais uma marca.
Outra matéria de destaque da revista é o plano de Ongs pra salvar a Amazônia do desmatamento. Custo: 7 bilhões de reais, em 7 anos, menos da metade, 17 bilhões, do que vão custar as usinas do rio Madeira, em Rondônia. Como arrumar a grana? Criando mais um imposto. Simplão, né?
DO FILHO DE DEUS AO FIM DOS TEMPOS
A Isto É vai atrás, muito atrás da infância de Jesus, "o período menos conhecido da biografia do filho de Deus" que, segundo a revista, já fazia das suas, todas do bem, é claro. E tem mais: "cientistas prevêem o fim do gelo do Ártico".
Fim do gelo no Ártico e do fogo na Amazônia. Menino Deus ?
GLÓRIA, PLIM,PLIM, RENAM CALHEIROS VEM AÍ
A Veja que, disfarçada pra uns e ontensivamente pra outros, vem terçando armas com a organizações Globo, saca mais uma e, dissimuladamente - que palavra dissimulada, meu Deus - anuncia o fim da era era global com a capa "A guerra entre Globo e Record, na tela e nos bastidores". Forte de tela, fraca de bastidos, a matéria, pelo menos, mostra que a legislação sobre TV e mídias em geral no Brasil é uma tremenda esculhambação e que, sem pressão - do povo ou da nação ? - só nas mãos do Congresso vai virar uma esculhambação ainda maior já que é uma das últimas fronteiras de poder ainda não ocupado e de crescente avanço e exploração sem que saiba, no mínimo, se uma Igreja que tem seu dinheiro vindo da doação - portanto, livre de impostos - possa bancar um grupo de comuminação em pé de igualdade com outros. E isso é bobagem diante da gama de poder que a Internet, a televisão, os celulares e a convergências entre as mídias estão oferecendo e ainda vão oferecer.
A Veja aproveita, pra não perder o costume, e dá uma cachuleta na governadora Ana Júlia, na coluna Holofote, por ter contratado a eterna dupla romântica-revolucionária-cubana Pablo Milanez e Chocho Valdez por 126 mil cash, pra Feira do Livro e sair correndo atras da Eletronorte pra pagar a conta, que canta ( amo una mujer clara que a my my ama sin pedir nada ou quasi nada que no es lo mismo pero es igual ) desculpem os cultores da língua.
*amanhã, posto o retomando o pauta dos blogs e dos jornais

3 Comments:

Anonymous Anonymous said...

Oi, Curica!
Bom te ver na ativa.
vou passar aí contigo.
beijo,
paulinho (klautau)

5:28 AM  
Blogger Diego Genú Klautau said...

Salve pai.
Fim dos tempos na amazônia!
Só filho de Deus curumin.

9:37 AM  
Blogger Diego Genú Klautau said...

Salve pai.
Fim dos tempos na amazônia!
Só filho de Deus curumin.

9:37 AM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home