Wednesday, December 19, 2007

O CASO GRACIE E O DOUTOR SABINO

Até que seria interessante passar uns dias num hospital, desintoxicando e fazendo novos exames.
Mas, não vou. Não aqui em Belém. Tenho pavor, não dos hospitais em sí, mas dos médicos.
Hospital é um lugar onde o barato deles é colocar soro, pra hidratar e não perder a veia, e que, de vez em quando, você recebe a presença de auxiliares de enfermagem - a melhor patota desse pessoal - a enfermeira-chefe sempre está ocupada e nunca aparece e médico quando aparece, passa no quarto no máximo 5 minutos e diz : - calma, vai melhorar. ( exceções aos médicos da família e amigos mais chegados ).
Médico detesta hospital.
Experiência própria nesses últimos 30 meses. Eles não conversam. Eles cagam regras ,remédios e exames que duram uma eternidade pra serem feitos ( nem todos médicos, é claro ).
Você fica de touca na cama com aquela agulha na veia e quando aparecem, parece que estão ali lhe prestando um favor.
Aí, tô vendo e lendo na web e nos meios de comunicação, o caso Ryan Grace, que morreu numa cela de cadeia, e a família culpando o doutor Sabino Farias Neto pela morte dele.
Estive na clínica do doutor Sabino e foi um dos raros médicos que conhecí que estava presente o tempo todo. Morava na mesma rua da clínica, uns 500 metros.
Está sendo acusado de assassinato por erro médico.
Sei o que é erro médico. Durmo e acordo até hoje com dores.
Por que ? Deu ao Gracie, cheio de cocaína e crack, quase tendo matado duas pessoas, um coquetel de remédios, depois de ter tentado removê-lo pra sua clínica e a polícia não ter deixado.
Remédios dados : Haldol, Fenergan, Topomax, Dienpax, Leponex, Capoten.
Tenho todos aqui em casa, receitados por médicos paraenses, acrescentados por Tramal e outro que não lembro o nome à base de morfina.
Eu não tomo nenhuma droga. Só bebo.
Cada médico me passava um e outro e o idiota aqui tomava. E eles se recusam a conversar entre eles sobre o paciente. É sempre assim : diz pra ele me ligar e outro diz: estou esperando uma ligação dele.
Não estou exagerando. Se organizem melhor, peçam aos bambambas que desçam de seus pedestais e ajudem na luta. Mas, parem de achar que são deuses.
É só ver a grande cagada que é a saúde pública. Tem muita gente séria no meio de vocês. Não é um sacerdócio. É só uma profissão que vocês escolheram.
Se quiserem saber mais sobre o caso Gracie e o doutor Sabino entrem no Google e pesquisem.
Caso tenham tempo, é claro.

4 Comments:

Anonymous Bia said...

Querido Afonso,

enquanto eu estudava biblioteconomia, há décadas - caramba!é uma droga marcar a vida já por décadas! - fiz um estágio na biblioteca Escola Paulista de Medicina.

Foi lá que descobri que os futuros médicos eram néscios como eu. Precisavam ler, estudar, aprender. A medicina não era um dom divino!

Eu aprendi isso cedo. Desmistifiquei a medicina..hehehe...

Mas, acompanhei também, no final da década de 70, quando dirigia o campus da USP em Marabá, as mudanças criadas pela reforma universitária e as "especializações". Os médicos deixavam de ver o paciente como um todo e estes passavam a ser um fígado, um estômago ou um rim.

O tempo só agravou essa mendicância médica e para justificar isso, a medicina voltou a ser dom divino, pois que como aprendizado terreno, ela transforou-se em fracasso de crítica e de público.

É óbvio, como você ressalta, que há bons médicos. Eu conheço meia dúzia de três ou quatro que têm pelas pessoas o desvêlo que se deve ter pelo ser humano em todas as profissões e atividades.
Como há bons engenheiros, bons jornalistas, bons mecânicos, boas cozinheiras.

O PASQUIM fez dessa época que eu relto um lema formidável: a Máfia de Branco, lembra?

Infelizmente a máfia vem ganhando em todos os campos. E os mafiosos não tem sequer a solidariedade de origem.

Beijo.

10:35 AM  
Blogger Meg said...

Afonso querido:
Estou muito mal, não sei se notou minha ausência, mas estou torcendo para que nessa loteria de médicos, eu encontre um que me alivie o sofrimento.
Só isso, por hoje.
E erro médico existe? Quando eu sofri um o "esprit de corps" achou que não houve. Só fiquei em coma, mas erro não houve.

desculpe nao ter nada de bom para falar.
Except: life must go on

Um beijo
Meg

9:42 PM  
Blogger Diego Genú Klautau said...

Fala Pai.
O Dr. Sabino é alguém comprometido com o que faz.
Espero que tudo se resolva da melhor maneira.

11:34 AM  
Anonymous Anonymous said...

AK RESPONDE

BIA, MEG, DIEGO.
Que bom vocês falarem dessa questão. A maioria das pessoas tem um pavor de falar na incompetência médica porque sempre acham que um dia podem acertar.
Vou contar uma e prever outra: nos hospitais, você acorda com dor de barriga ou dor de cabeça e pede um Buscopan ou uma Neosaldina e a enfermagem diz : - só com a prescrição do doutor.
Se o doutor vem à noite, se vier, você só passa o dia inteiro com dor de cabeça ou de barriga.
Se nnão vier, tente dormir com o soro na veia.
A previsão : não entre num hospital nessas épocas de Natal e Ano Novo a não ser em casos extremos.
Você vai ficar sem fazer nada porque os médicos vão estar festejando o Natal e o Ano Novo. ( com exceções de gente médica ainda gente ) .
Afonso Klautau
PC: a maioria dos bambambãs se orgulha de não saber nada de informática.

12:23 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home