Monday, October 29, 2007

A HISTÓRIA UM

Jornal O Estado do Pará.
O repórter Carlos Mendes escreve uma matéria sobre conflito de terras.
O general de plantão - não lembro o nome dele - pede a cabeça do repórter pro Iravaldyr Rocha - superintendente do jornal.
O Ira me chama, eu, Afonso Klautau, diretor de redação do jornal, manda que eu demita o Mendes, eu me recuso ( lembram, Jaime Belacquia, Raimundo José Pinto, entre outros )o Ira me demite e o secretário de redação, Orly Bezerra assume, numa combinação pra não haver mais conflitos.
História.

8 Comments:

Anonymous Anonymous said...

OI, Afonso, tempo bom aquele, que não volta mais: final dos anos 70, uma turma de jovens, mas já experientes jornalistas, fazia um jornal que, em pouco tempo, marcou época. Uma redação como àquela não existia. Acontecia: liberdade total, até para provocar o patrão. Vou contar só uma, prá colaborar com essa história: certa ocasião o dono do jornal, Avertano Rocha, que escrevia aos domingos uma coluna chamada "Por Dentro" provocou a redação, com referência aos jornalistas comunistas que dela faziam parte. Moral da história: a turma não gostou da brincadeira,se reuniu e fez uma abaixo-assinado questionando o articulista e sentenciando: da próxima vez usaria o mesmo espaço para o revide. O direito de resposta. Todos assinaram o documento, do repórter até o editor chefe. Quando leu,o Avertano ficou puto e ameaçou demitir todos. Aí entrou no jogo o Aldo Almeida,já falecido, que era uma espécie de diretor executivo do grupo.Bom de papo , muito articulado e conciliador dos bons, Aldo conseguiu o que parecia impossível. E para o bem de todos e felicidade geral da redação o jornal ainda viveu bons momentos até o seu fechamento precoce.Uma pena. Saudades do Estado do Pará.
Um forte abraço,

Orly Bezerra

PS: Quando assumi o seu lugar, combinado como você bem disse, eu ocupava a chefia de reportagem e editava cadernos especiais. O secretário de redação era , e continuou sendo, o Natsuo.

6:30 PM  
Anonymous Anonymous said...

ak diz:
Grande Orly, companheiro de tantas histórias.
O Nat era o secretário de redação, sim, desculpe a falha e o Aldo Almeida, que naqueles tempos a gente chamava de direita, era uma figura linda que nos protegia a todos.
Afonso Klautau

1:06 AM  
Blogger Diego Genú Klautau said...

Histórias!
Ninguém nos rouba, ninguém nos tira.
Nem só de pão vive o homem, mas de toda história que ultrapassa o tempo!
Abração.

9:42 AM  
Blogger CJK said...

Nada a ver com o post, apenas um abraço de seu admirador e leitor diário. Bom te encontrar de novo na ativa, neste deserto de idéias e de caráteres que se tornou o Pará.

11:22 AM  
Anonymous Anonymous said...

De Ligório, caríssimo amigo.
Bom vê-lo de volta ao batente.
Eu estava lá, com a energia dos meus 20 anos, editor de esportes, como testemunha ocular da história.
Bons tempos, que não voltam.
Ronaldo Brasiliense

12:11 PM  
Anonymous Anonymous said...

ak diz:
Diego: vou fazer o máximo pra estar aí na defesa de sua tese de mestrado na PUC, 06 de novembro, seu aniversário, em.........História.
cjk, que bom que você voltou também pra esse quase deserto.
Ronaldo, irmão, a única raiva que tenho de ti é porque eu não nascí em Óbidos.
Afonso Klautau

4:42 PM  
Anonymous Anonymous said...

Oie "Fessor"
Só pra deixar um baita beijo!
Sula Maciel

7:04 PM  
Anonymous Anonymous said...

Afonso, falta completar a história. E o Orly demitiu o Mendes?

4:32 AM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home